Gestão de Processos

Tomada de decisão estratégica: como guiar uma empresa a partir de dados

19 de Novembro de 2021

• Tempo de leitura: 10min

Voltar

Os dados são uns dos bens mais preciosos da atualidade e ativos de maior valor de uma organização, saber usá-los a favor de um negócio pode ser fundamental para orientar a tomada de decisão estratégica. Dessa maneira é possível orientar ações para traçar um planejamento pelo melhor caminho, não importa em qual segmento a instituição atue.  

As chamadas estratégias Data Driven, ou estratégias guiadas por dados, se referem à tomada de decisão baseada em conhecimentos concretos coletados pelas organizações. Esse é o ponto principal para que as instituições transformem dados e informações em vantagens competitivas para sua atuação. 

Abaixo vamos explicar a você a importância de uma estratégia guiada por dados, quais suas vantagens e como é possível acelerar o crescimento na sua empresa aplicando estratégicas data driven na tomada de decisão. Continue lendo!

A importância da tomada de decisão estratégica

Muitas instituições ainda acreditam que têm um conhecimento pleno de todas as áreas de atuação e acabam apostando em questões subjetivas e até mesmo na intuição. No entanto, para acompanhar os avanços do mercado e estar à altura de outras organizações em competitividade, é preciso também se adequar a métodos e tecnologias mais eficientes.  

No entanto, as empresas não devem se pautar apenas no seu aprimoramento em relação a dados para conquistar novos patamares do mercado. É preciso pensar também na experiência do consumidor e em como essas estratégias data driven podem impactar positivamente a qualidade de trabalho dos profissionais que atuam nesses lugares. 

Dessa forma, entende-se que contar com uma tomada de decisão estratégica, guiada por dados, não é mais uma vantagem ou modernidade, mas sim uma ação essencial para garantir a sustentabilidade de uma organização, garantindo informações concretas que impactarão de forma crucial nos processos.  

Recentemente uma pesquisa apontou que 60% das empresas brasileiras usam Data & Analytics para apoiar estratégia de negócios. Com a transformação digital, as organizações têm se adaptado em tempo real às mudanças do mercado. Aquelas que não se adaptarem a esse novo momento correm o risco, inclusive, de extinção.  

Em contrapartida às que não querem se atualizar, outras gigantes do mercado como Nike e Monsanto mostram como o uso de dados tem auxiliado de forma efetiva na tomada de decisão estratégica. Os dados sempre foram indispensáveis para a sustentabilidade do trabalho, mas com a chegada de novas tecnologias ele se tornou simplesmente essencial para manter um negócio vivo.

tomada-de-decisao-dados-informação-conhecimento-diferença

Como resultado principal, quando uma empresa dá atenção aos dados que coleta e faz o uso correto para transformá-los em conhecimento, a incidência de erros diminui. Isso auxilia ativamente em questões como o aumento da produtividade, a redução de custos operacionais e também na conquista por melhores resultados.  

Sua organização vai acompanhar a transformação digital que grandes empresas estão seguindo ou ficará estagnada no passado

Data driven: tomada de decisão baseada em dados

Vantagens de uma estratégia Data Driven

Como falamos anteriormente, quando uma empresa opta por começar a fazer uma tomada de decisão mais estratégica, guiada por dados, ela consegue atingir um patamar de excelência em seus processos, otimizando questões que são essenciais para as operações cotidianas. 
 

  • Maior capacidade preditiva: Reconhecer padrões e tendências é uma das possibilidades que uma estratégia data driven permite. Ao analisar informações e dados disponíveis é possível se antecipar a possíveis problemas e demandas do mercado. 
     
  • Segurança na tomada de decisão: Dados não mentem e nem são baseados em intuições ou achismos. Quando uma empresa analisa os dados concretos coletados por uma plataforma, a tomada de decisão fica mais simples e segura, oferecendo menos riscos à organização.  
     
  • Autonomia para as equipes: Com plataformas acessíveis e intuitivas é possível disponibilizar os conhecimentos gerados a partir dos dados para todo o time operacional. Isso, além de democratizar o acesso a dados por toda a equipe e facilitar sua compreensão, ainda aumenta a autonomia dos colaboradores, torna o processo muito mais transparente e melhora a produtividade, já que os profissionais têm acesso a informações seguras. 
     
  • Retorno financeiro: Com informações disponíveis é possível que uma instituição consiga calcular seu retorno financeiro com mais facilidade. Isso porque é viável aplicar métricas a alguns pontos essenciais dentro da empresa e analisar se seu crescimento tem gerado resultados positivos.  
     

Como gerar resultados com decisões estratégicas

Sem dúvidas, uma empresa que faz sua tomada de decisão baseada em dados está à frente de outras organizações que não têm o mesmo comportamento. Transformar dados em conhecimento é usar de forma inteligente um compilado de informações coletadas diariamente que, se não utilizadas, transformam-se apenas em um amontoado de dados.

Mas para traçar esse caminho é preciso tomar decisões inteligentes e, principalmente, querer implementar, de fato, uma cultura data driven dentro das organizações. Isso demanda esforço e trabalho, mas tem um resultado que compensa como nenhum outro. 

Faça interpretações corretas dos dados

Remanejar dados para cumprirem outra função pode ser um problema. Quando o processo não é feito de forma correta, pode acontecer da empresa ter dados preciosos em mãos, mas utilizá-los de maneira errada e pouco estratégica, gerando mais desgaste, menos resultados e, até mesmo, um número maior de erros. 

Da mesma maneira acontece com o uso de dados irrelevantes. Quando informações são usadas de maneira estratégica, mas não são coletadas com esse papel. Muitos dados fornecidos podem ter um outro tipo de propósito, mas não são importantes na hora de traçar uma estratégia. Separar o que é relevante é essencial para dar atenção às informações necessárias. 

Além disso, dados podem enganar. Quando damos foco às médias, deixamos de analisar os índices baixos e altos. Isso se torna um problema em algumas organizações que precisam dar foco a situações específicas, como o cuidado ao paciente de um hospital, por exemplo. Nesse cenário, o contar com uma inteligência que permita enxergar além das médias é crucial.  

Atualmente, as plataformas de Business Intelligence (BI) disponíveis no mercado não conseguem atuar nesse papel. Elas tendem a indicar médias e, de modo geral, dados que indicam os problemas do processo, mas não explicam de onde esses problemas nascem, sua causa e possíveis caminhos para resolvê-lo.  

Nesse sentido, capacitar os funcionários a interpretar dados de maneira correta é o que irá reduzir esses riscos. Isso melhora a capacidade de entendimento, reduz erros e melhora a extração de informações relevantes para serem aplicadas ao dia a dia da organização. 

Adote uma cultura baseada em dados

Para ter uma tomada de decisão estratégica, primeiro é preciso implementar uma cultura organizacional orientada por dados. Do gestor aos profissionais da operação, todos devem ter em mente que os processos precisam ser pensados sempre com provas a partir de dados, e não de achismos e intuições.  

Para começar esse processo, é crucial implementar rotinas de utilização e aprendizado dos colaboradores nas plataformas em que os dados serão coletados. Só utilizar plataformas não é o suficiente, é preciso que os dados se tornem uma necessidade para os times que o utilizarão, que eles entendam o quanto as informações são necessárias para uma tomada de decisão precisa e acertada.

Organize sua estrutura de dados

Quando uma nova plataforma é implementada dentro de uma empresa, um grande problema pode surgir: a não estruturação dos dados indispensáveis para extrair informações a partir deles. A estruturação de dados é essencial para que uma nova tecnologia seja executada, organizando as informações no armazenamento e permitindo sua utilização da forma correta.

Ou seja, para que a nova plataforma seja implementada com êxito e consiga extrair os dados necessários, que permitam tomadas de decisões mais acertadas pela sua empresa, primeiro é preciso realizar operações básicas pelo time de tecnologia para inserir e excluir dados, localizar um elemento, visualizar todos os itens da estrutura, classificar dados, entre outras opções. Com uma cultura de dados estruturada, as análises serão muito mais eficientes e, consequentemente, a tomada de decisão muito mais estratégica.

Utilize plataformas inteligentes

Depois que seu time estiver alinhado em um mindset data driven, é hora de colocar a teoria em prática e oferecer ferramentas que irão gerar insights pertinentes e essenciais para o seguimento do trabalho. A tecnologia é um dos pilares desta cultura, por isso, contar com plataformas inteligentes é indispensável. 

Incorporar essas ferramentas ao trabalho diário é o que permitirá à empresa gerar mais recursos, coletar dados e armazenar informações pertinentes para tomar decisões precisas. Para isso, a escolha de uma solução precisa ser feita baseada nas demandas diárias do negócio, entendendo suas necessidades e sabendo até onde se pode chegar com o uso correto do que foi coletado.

Como a UpFlux colabora com esse processo?

A UpFlux desenvolve soluções para ajudar empresas a alcançarem a excelência operacional. Unindo inteligência artificial à mineração de processos, criamos soluções que têm o poder de descobrir, mapear, monitorar e melhorar continuamente processos produtivos, de atendimento e administrativos. 

A UpFlux é pioneira em Process Mining do Brasil, com mais de 1000 usuários que utilizam nossa plataforma para guiar processos em indústrias, instituições financeiras, centros de serviços compartilhados, hospitais, clínicas, laboratórios, centros oncológicos e operadoras de planos de saúde. 

Saiba mais sobre como Process Mining funciona na prática e entenda como é possível utilizar os dados que sua empresa coleta para melhorar os processos do dia a dia da sua organização. Fale com um especialista


Postagens Relacionadas