Hospitais e Clínicas

Tecnologia na saúde: a transformação digital e a melhoria da qualidade assistencial

28 de Dezembro de 2021

• Tempo de leitura:

Voltar

A medicina sempre foi marcada pelos avanços tecnológicos e a utilização de ferramentas que permitem uma maior qualidade assistencial, otimizem o dia a dia dos profissionais e, consequentemente, melhorem a experiência do paciente. Isso fez com que esse setor se tornasse uma referência quando se trata de tecnologia, já que as soluções desenvolvidas para ele impactam direta e rapidamente a vida das pessoas, mostrando, de fato, sua utilidade.

O uso de tecnologia na saúde, historicamente, foi pautado pela procura da cura para os mais variados problemas. No entanto, com a transformação digital e seus avanços, outras áreas, sobretudo a gestão hospitalar, se beneficiaram com o uso de variadas ferramentas e soluções que auxiliam na garantia de uma melhor qualidade assistencial aos pacientes e eficiência operacional.  

Essa nova era do uso de tecnologia na saúde trouxe novos modelos, muito mais avançados, de gestão. Com a automação de processos, a possibilidade de um mapeamento completo, análises muito mais profundas e a capacidade de oferecer dados e autonomia de análise aos profissionais, a redução de custos, de tempo, o aumento da segurança do paciente e da produtividade foram as principais vantagens que permitiram acelerar o faturamento hospitalar nos últimos anos.  

Nesse artigo vamos explicar sobre a importância do uso de tecnologia na saúde, como a transformação digital impactou esse cenário, melhorando a qualidade assistencial de hospitais, e de que maneira é possível alcançar esses avanços tecnológicos de maneira simples. Continue lendo!

As healthtechs e uso de tecnologia na saúde

É comum ouvir de gestores e profissionais que os avanços tecnológicos são uma realidade muito distante do dia a dia vivido pelas instituições. Como se o uso de tecnologia na saúde fosse algo muito além da realidade, ou que os profissionais que atuam em hospitais diariamente precisassem de um grau avançado de conhecimentos sobre dados e tecnologia para implementar esse uso no seu cotidiano.  

Essa não é uma verdade. Quando se fala do uso de tecnologia na saúde também estamos tratando de soluções e ferramentas simplificadas que auxiliam o desenvolvimento de ações diárias. Isso não significa deixar de lado questões mais complexas como o uso de robôs em cirurgias, ou o uso de internet em procedimentos à distância, por exemplo. Mas significa, sim, que a dita alta tecnologia está presente em todas etapas de um hospital, durante toda a jornada do paciente, assim como em todos os fluxos de gestão.

Nesse cenário, as healthtechs têm um papel muito importante no uso de tecnologia na saúde. As jovens empresas que surgem no mercado de saúde são essenciais para que novas soluções apareçam e solucionem dores que o mercado ainda nem sabia que tinha, ou que já sabia, mas não fazia ideia de como resolvê-las. A partir desse trabalho, por meio da transformação digital, essas startups buscam aumentar a eficiência operacional simplificando e desburocratizando etapas. 

Uma análise feita pela Distrito Healthtech Report de 2020, que faz um mapeamento sobre o uso de tecnologia das startups do Brasil, segmenta as possibilidades de uso de tecnologia na saúde por categorias. Desde a gestão de prontuário eletrônico, passando por robótica, big data analytics, pesquisa científica, até o uso de telemedicina ou o uso de próteses 3D, por exemplo.  

A gestão de Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP), por exemplo, é a categoria com maior número de soluções, de acordo com o estudo. Isso significa que as startups que buscam melhorar a gestão em clínicas, hospitais e laboratórios estão na liderança, com 25% das healthtechs. Ou seja, na prática, a aplicação de soluções simples e diretas, voltadas à qualidade assistencial do dia a dia ainda é uma das prioridades da tecnologia voltada à saúde.

O impacto do uso de tecnologia na saúde 

Sempre abordamos em nossos artigos a importância do uso das tecnologias voltadas à saúde. Nesse cenário, a tecnologia impulsiona a cultura hospitalar e beneficia todos que são impactados por ela: gestores, profissionais, pacientes e, até mesmo, as famílias dos usuários do serviço. Essas soluções se sustentam por dados, análises e ferramentas que permitem, cotidianamente, a manutenção e aperfeiçoamento do trabalho feito, garantido a todas as partes o melhor resultado possível. 

Na prática, o uso de tecnologia na saúde garante uma tomada de decisão mais estratégica ao time, e possibilita também, entre dezenas de outros pontos, a redução de custos que impactam diretamente no faturamento hospitalar. Isso acontece pois, com o uso inteligente de tecnologia, a gestão garante o controle sobre os dados da instituição, entendendo profundamente onde está a causa raiz de diversos problemas. 

No time assistencial, permite o acesso a dados estratégicos que fornecem visualizações em tempo real das etapas, tudo para que as correções do atendimento ao paciente sejam feitas próximo ao tempo real. Isso aumenta a produtividade das equipes e reduz custos operacionais com ações causadas por ineficiências que, muitas vezes, não precisam ser feitas ou refeitas.

O auxílio da tecnologia na saúde

Assim, permitindo a automação de diversos processos que existem dentro de um hospital, visualizando em tempo real o que pode ser ajustado, o profissional elimina erros e aumenta a qualidade do atendimento ao paciente. Isso garante um atendimento muito mais seguro e uma experiência ainda mais positiva do usuário com a instituição de saúde, além de permitir sua autonomia desde o processo de agendamento.  

Englobando todos esses pontos, ao melhorar seus processos de modo geral, as instituições de saúde garantem uma eficiência operacional que pode render certificações e acreditações que atestam a qualidade do serviço que está sendo prestado. Ou seja, o uso de tecnologia na saúde melhora em diversos aspectos as instituições de saúde, seus usuários e também favorecem a credibilidade dessas organizações no mercado.

Como alcançar o cenário ideal?

Para colocar em prática o uso de tecnologia na saúde, apenas implementar processos automatizados e fazer uso de plataformas digitais não é o suficiente. Para que essa ação seja, de fato, efetiva e resulte em melhorias para a instituição, algumas ações podem ser tomadas:

Ter um pensamento voltado à transformação digital

Para que uma empresa sustente o uso de tecnologias, antes é preciso que toda organização esteja alinhada com esse mindset. A implementação de soluções passa, principalmente, pela saída da zona de conforto de muitos profissionais. Essa nova ferramenta implementada irá relatar erros, desvios e também exigirá novos métodos da equipe assistencial. Estar aberto a essa novidade é o primeiro passo para que o processo de início do uso de tecnologia na saúde dê certo. 

Criar uma cultura baseada em dados  

Quando uma empresa começa seu processo de transformação digital, “achismos” já não são mais bem-vindos. Para que o processo seja verdadeiramente eficiente, a gestão hospitalar e as equipes assistenciais precisam pautar as operações do seu dia a dia por dados e informações concretas que levem até o melhor atendimento ao paciente ou até as melhores práticas de gestão. Contar com indicadores hospitalares e ferramentas voltadas a essa coleta de dados se faz extremamente necessário.  

 
Automatizar processos com uso de tecnologia  

Processos manuais devem ser eliminados ao máximo. Automatizar os processos das instituições de saúde significa garantir a melhor qualidade assistencial, além de reduzir ao máximo os erros humanos que podem ocorrer durante a jornada do paciente na instituição. Assim, reconhecendo o papel essencial do uso de tecnologia na saúde, será possível otimizar resultados, reduzir erros e garantir um atendimento muito mais humanizado e inteligente.  

A tecnologia na saúde garante a eficiência operacional a hospitais e clínicas. Quer saber como é possível alcançar os pontos citados acima de forma prática? Conheça nossa solução.


Outras Postagens