Enfermeiro navegador – competências orientadas para o cuidado centrado, segurança do paciente e eficiência operacional

14 de Julho de 2020

• Tempo de leitura:

Voltar

Enfermeiro navegador, na área de saúde é um conceito desenvolvido no ano de 1990, pelo médico americano Harold Freeman.

Elaborado com o objetivo de acelerar a confirmação do diagnóstico e garantir a continuidade do cuidado do início ao fim do fluxo de atendimento.

Apesar de a atividade de enfermeiro navegador ser relativamente nova, inúmeras instituições de saúde têm adotado esta prática de gestão.

A condução desta prática pelo profissional enfermeiro navegador tem alguns objetivos bem específicos. Redução do tempo de permanência, segurança assistencial, redução de desperdícios e variabilidades são algumas que destacamos.

Pesquisa do Instituto Gallup em solo americano sobre ética e honestidade destaca a postura do enfermeiro. Desde 2016 os enfermeiros mantem-se no topo da lista com uma média de 84% favorável.

Somada a estas competências, o enfermeiro navegador ainda deve reunir conhecimento técnico e excelência operacional.

E quais são os desafios que o enfermeiro navegador pode atuar?

Monitoramento de linhas de cuidados, agenda de procedimentos eletivos e custos assistenciais. Estas são algumas das dores comuns de hospitais públicos e privados.

Pesquisa do Instituto Ethos de abril de 2020 sobre os impactos da pandemia destaca algumas preocupações. Entre os respondentes, executivos e outros profissionais, 65% relatam redução no faturamento e 86% incertezas sobre a estabilidade econômica.

Já em relação eficiência operacional, dados do Observatório ANAHP apresentam alguns números evolutivos entre os anos de 2016 e 2020.

  • Média de permanência de 4,38 (2016) para 4,04 (2020), redução de 8,4%;
  • Giro de leito de 5,33 (2016) para 5,85 (2020), aumento de 9,8%;
  • Taxa de conversão de pronto atendimento de 6,93 (2016) para 8,29 (2020), aumento de 19,6%.

Pergunta! Estes resultados são suficientes?

Na outra ponta, vemos o conceito da transformação digital e o mesmo Observatório destaca nos hospitais ANAHP:

  • 95,56% de prescrição eletrônica;
  • 91,11% de prontuário eletrônico implantado;
  • 85,56% de sistemas de visualizações de imagens implantados.

Extrair informações e conhecimentos destes dados e entregar ao enfermeiro navegador para transformar tudo isto em vantagem competitiva.

Isto mesmo, vantagem competitiva!

Inteligência artificial e mineração de processos na área da saúde pode ampliar de forma exponencial os resultados.

Estrutura, processos e resultados, orientados a partir de uma visão de saúde 4.0.

Diante disto, linhas assistenciais seguras, cuidado centrado no paciente e eficiência dos processos serão os resultados esperados.

[:en]

Enfermeiro navegador, na área de saúde é um conceito desenvolvido no ano de 1990, pelo médico americano Harold Freeman.

Elaborado com o objetivo de acelerar a confirmação do diagnóstico e garantir a continuidade do cuidado do início ao fim do fluxo de atendimento.

Apesar de a atividade de enfermeiro navegador ser relativamente nova, inúmeras instituições de saúde têm adotado esta prática de gestão.

A condução desta prática pelo profissional enfermeiro navegador tem alguns objetivos bem específicos. Redução do tempo de permanência, segurança assistencial, redução de desperdícios e variabilidades são algumas que destacamos.

Pesquisa do Instituto Gallup em solo americano sobre ética e honestidade destaca a postura do enfermeiro. Desde 2016 os enfermeiros mantem-se no topo da lista com uma média de 84% favorável.

Somada a estas competências, o enfermeiro navegador ainda deve reunir conhecimento técnico e excelência operacional.

E quais são os desafios que o enfermeiro navegador pode atuar?

Monitoramento de linhas de cuidados, agenda de procedimentos eletivos e custos assistenciais. Estas são algumas das dores comuns de hospitais públicos e privados.

Pesquisa do Instituto Ethos de abril de 2020 sobre os impactos da pandemia destaca algumas preocupações. Entre os respondentes, executivos e outros profissionais, 65% relatam redução no faturamento e 86% incertezas sobre a estabilidade econômica.

Já em relação eficiência operacional, dados do Observatório ANAHP apresentam alguns números evolutivos entre os anos de 2016 e 2020.

  • Média de permanência de 4,38 (2016) para 4,04 (2020), redução de 8,4%;
  • Giro de leito de 5,33 (2016) para 5,85 (2020), aumento de 9,8%;
  • Taxa de conversão de pronto atendimento de 6,93 (2016) para 8,29 (2020), aumento de 19,6%.

Pergunta! Estes resultados são suficientes?

Na outra ponta, vemos o conceito da transformação digital e o mesmo Observatório destaca nos hospitais ANAHP:

  • 95,56% de prescrição eletrônica;
  • 91,11% de prontuário eletrônico implantado;
  • 85,56% de sistemas de visualizações de imagens implantados.

Extrair informações e conhecimentos destes dados e entregar ao enfermeiro navegador para transformar tudo isto em vantagem competitiva.

Isto mesmo, vantagem competitiva!

Inteligência artificial e mineração de processos na área da saúde pode ampliar de forma exponencial os resultados.

Estrutura, processos e resultados, orientados a partir de uma visão de saúde 4.0.

Diante disto, linhas assistenciais seguras, cuidado centrado no paciente e eficiência dos processos serão os resultados esperados.

[:es]

Enfermeiro navegador, na área de saúde é um conceito desenvolvido no ano de 1990, pelo médico americano Harold Freeman.

Elaborado com o objetivo de acelerar a confirmação do diagnóstico e garantir a continuidade do cuidado do início ao fim do fluxo de atendimento.

Apesar de a atividade de enfermeiro navegador ser relativamente nova, inúmeras instituições de saúde têm adotado esta prática de gestão.

A condução desta prática pelo profissional enfermeiro navegador tem alguns objetivos bem específicos. Redução do tempo de permanência, segurança assistencial, redução de desperdícios e variabilidades são algumas que destacamos.

Pesquisa do Instituto Gallup em solo americano sobre ética e honestidade destaca a postura do enfermeiro. Desde 2016 os enfermeiros mantem-se no topo da lista com uma média de 84% favorável.

Somada a estas competências, o enfermeiro navegador ainda deve reunir conhecimento técnico e excelência operacional.

E quais são os desafios que o enfermeiro navegador pode atuar?

Monitoramento de linhas de cuidados, agenda de procedimentos eletivos e custos assistenciais. Estas são algumas das dores comuns de hospitais públicos e privados.

Pesquisa do Instituto Ethos de abril de 2020 sobre os impactos da pandemia destaca algumas preocupações. Entre os respondentes, executivos e outros profissionais, 65% relatam redução no faturamento e 86% incertezas sobre a estabilidade econômica.

Já em relação eficiência operacional, dados do Observatório ANAHP apresentam alguns números evolutivos entre os anos de 2016 e 2020.

  • Média de permanência de 4,38 (2016) para 4,04 (2020), redução de 8,4%;
  • Giro de leito de 5,33 (2016) para 5,85 (2020), aumento de 9,8%;
  • Taxa de conversão de pronto atendimento de 6,93 (2016) para 8,29 (2020), aumento de 19,6%.

Pergunta! Estes resultados são suficientes?

Na outra ponta, vemos o conceito da transformação digital e o mesmo Observatório destaca nos hospitais ANAHP:

  • 95,56% de prescrição eletrônica;
  • 91,11% de prontuário eletrônico implantado;
  • 85,56% de sistemas de visualizações de imagens implantados.

Extrair informações e conhecimentos destes dados e entregar ao enfermeiro navegador para transformar tudo isto em vantagem competitiva.

Isto mesmo, vantagem competitiva!

Inteligência artificial e mineração de processos na área da saúde pode ampliar de forma exponencial os resultados.

Estrutura, processos e resultados, orientados a partir de uma visão de saúde 4.0.

Diante disto, linhas assistenciais seguras, cuidado centrado no paciente e eficiência dos processos serão os resultados esperados.

[:]


Outras Postagens

Comece agora a otimizar seus processos.

Solicitar Trial