Saúde do hoje ao amanhã: Como a Inteligência Artificial pode ajudar?

Existe um problema latente no mundo que é o crescimento dos custos com a saúde. Como potencializador deste problema está o aumento da expectativa de vida e o envelhecimento populacional. Ao mesmo tempo que tratamentos precisam ter seus custos reduzidos, os pacientes carecem da melhoria ao acesso para entrar em uma linha protocolo e guideline correto em sua jornada de tratamento, como, também, carecem da eficiência operacional neste cuidado e de sua recuperação.

A inteligência artificial pode ser considerada uma das maiores revoluções nesta década. A capacidade de trabalhar em problemas de otimização, extração de conhecimentos, reconhecimento de imagens e suporte à decisão está transformando o mercado de trabalho de diversos segmentos de negócios.  Na área de saúde não poderia ser diferente, com milhares de dados armazenados na jornada do paciente, abrem-se oportunidades desde reconhecer imagens para automatizar diagnósticos, até para aprimorar toda a jornada assistencial de cada paciente.

Atualmente, ouve-se sobre o poder dos dados capturados por braceletes e relógios inteligentes como: padrão de atividade física, locais frequentados, que são combinados a padrões de consumo, estes dados certamente dizem muito sobre cada indivíduo. Entretanto, estes dados também podem dizer algo sobre probabilidades de doenças que cada indivíduo pode desenvolver amanhã. Observando o poder desta tecnologia, novas operadoras de planos de saúde, como a startup OSCAR, facilitam o acesso a estas tecnologias e desenvolvem concierges bonificando os beneficiários com descontos ou créditos na Amazon para missões cumpridas, como atividade física mínima.

Entretanto, o uso de inteligência artificial não está limitado aos novos equipamentos de diagnósticos ou relógios inteligentes. Hoje, existem um grande potencial de geração de conhecimentos a partir das bases de dados das operadoras de planos de saúde, mesmo estes dados estando em sistemas tradicionais. Por meio de dados presentes nos diversos sistemas existentes como: os registros médicos, prontuários, exames, serviços e prestadores é possível melhorar a qualidade e a eficiência. Inúmeros objetivos podem ser alcançados, tais como: identificar as anomalias mais relevantes, gerar sistema de recomendação e de suporte a decisão, modelar de forma automatizada o percurso no cuidado da atenção em saúde, realizar simulações de recursos envolvendo problemas complexos ligados ao consumo temporal de máquinas e de profissionais da saúde, entre outros.

Para atuar na análise da jornada do paciente a UpFlux ajuda operadoras de saúde e hospitais a melhorar a sua eficiência operacional, com segurança, qualidade e sustentabilidade, evitando desperdícios e desvios nos serviços prestados. A UpFlux é uma plataforma cognitiva para análise da jornada de pacientes, auditoria inteligente, monitoração de doentes crônicos, entre outras linhas de atuação.

Na indústria o termo digital twin (gêmeo digital) já é bem conhecido, com a oferta de sistemas que buscam replicar o comportamento da entidade real. Muitas vezes, disponibilizando conectividade on-line, com o ativo real, permitindo transportar parâmetros de simulações no mundo virtual para o gêmeo real. Os objetivos de um gêmeo digital são os mais diversos, desde acelerar o ciclo de desenvolvimento de um ativo, maximizar sua durabilidade, facilitar sua inserção ou implantação em um sistema, oferecer acesso virtual para consultar a situação do ativo, analisar o desempenho em novas circunstâncias, até prever uma situação futura. Atualmente, os laboratórios de pesquisas de medicamentos e novas tecnologias já são auxiliados por sistemas com representações digitais da fisiologia humana em seus estudos, com o objetivo de acelerar o desenvolvimento de novos tratamentos. Em um futuro próximo, essas ferramentas certamente ajudarão aos médicos e gestores na otimização do desempenho e precisão de tratamento para os pacientes. Automatizando e orquestrando todo o sistema na sua melhor utilização: pessoas, máquinas de diagnóstico, laboratórios e medicamentos. Com o objetivo de salvar ainda mais vidas, com segurança e sustentabilidade com um digital twin de toda uma organização.

A seguir estão os marcos futuros em previsões por Peter Diamandis e afiliados da Singularity University (A360 – oradores da comunidade Abundance Digital).

  • 2020: Diagnósticos médicos baseados em Inteligência Artificial e em recomendações são utilizados em boa parte do sistema de saúde dos EUA.
  • 2032: Nano-robôs médicos testados em seres humanos são capazes de melhorar o sistema imunológico.
  • 2034: Desafios como o câncer estão resolvidos.
  • 2034: Robôs enfermeiros se toram companheiros e auxiliam idosos possibilitando a independência na terceira idade, passando em suas casas.
  • 2036: Tratamento de longevidade são cobertos por planos de saúde prolongando a vida em 30..40 anos.

No Replies on Saúde do hoje ao amanhã: Como a Inteligência Artificial pode ajudar?

Leave a reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

onze + nove =